• FreeFood

O que a FreeFood fará para ajudar pessoas?

Você já deve ter ouvido sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), mas você sabe o que são e por que surgiram? Antes de explicarmos como ajudaremos pessoas a terem dias melhores, vamos te deixar por dentro do que é a ODS. Então vamos lá...


O que são os ODS?


Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) foram estabelecidos pelos 193 países membros da ONU, inclusive o Brasil, durante a Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, em 2015.


Trata-se de uma agenda composta por 17 objetivos e 169 metas que devem ser atingidos até 2030, como prioridade das políticas públicas internacionais.


Pode-se dizer que os temas que constam nesta agenda estão divididos em cinco áreas de importância (5 P’s): pessoas, planeta, prosperidade, paz e parceria.


Apesar das ODS serem de âmbito mundial, sua aplicação depende de políticas e ações efetivas nos âmbitos regional e local.


E mais do que isso, o que se evidencia é que além da conscientização e mobilização dos governantes e gestores locais, é de grande importância a atuação do setor privado nessa transição para economias baseadas nos princípios do desenvolvimento sustentável.


O setor privado, força motriz do sistema econômico, tem um papel preponderante para que se consiga alcançar os ODS, pois são as empresas que possuem as estratégias de negócios que irão impactar diretamente no ambiente que operam, seja social, ambiental, econômico ou institucional.


A FreeFood sabe que o cumprimento dos ODS até 2030 dependerá da conscientização de líderes corporativos, seus colaboradores e especialmente de cada um como indivíduo.


Por esse motivo desde a sua criação, pensamos em uma forma de atuar na aplicação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, e assim escolhemos dois temas específicos com os quais mais identificamos e acreditamos que poderemos agregar.


Como a FreeFood pretende ajudar pessoas?


1. O ODS 3, “Garantir uma vida saudável e promover o bem-estar para todos em todas as idades”.


Algumas das metas traçadas, em especial a 3.8 e a 3.c, refletem a necessidade de todos serem merecedores de usufruir de condições satisfatórias de saúde, saneamento básico e, podemos incluir aqui, educação quando falamos de acidentes originados pelo desrespeito do ser humano às regras de trânsito, consumo e outras decretadas.


Entender essa necessidade e trabalhar para que uma melhoria seja feita, vai de encontro com diversos âmbitos propostos pelo desenvolvimento sustentável na saúde e aquilo que pode afetar o rendimento e desenvolvimento do ser humano.


Para exemplificar, estudos mostram a relação direta que os alimentos digeridos e os nutrientes oriundos destes alimentos tem com o desenvolvimento cognitivo.


Se o sistema digestivo estiver comprometido pela falta ou pelo excesso de nutrientes alguns sistemas do corpo humano serão afetados, como memória, raciocínio e concentração, processos essenciais para o desenvolvimento de qualquer atividade.


É seguro dizer que a alimentação é responsável pelo baixo rendimento de um profissional em muitas situações, independentemente do tipo de atividade que ele exerça.


Não menos importante, a alimentação tem influência direta na diminuição da procura por consultas médicas, procura por hospitais, internações e desenvolvimento de doenças, trazendo uma vida saudável e um bem-estar que pode refletir diretamente nos resultados do que foi proposto pelo indivíduo ou corporação.




2. O ODS 8, “Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, o emprego pleno e produtivo e o trabalho decente para todos”.


A geração de empregos está entre uns dos pilares mundiais para a erradicação da pobreza.


A meta 8.2, proposta pela ODS, que estimula alcançar níveis mais altos de produtividade econômica através de diversificação, atualização tecnológica e inovação, incluindo o foco em setores de alto valor agregado e intensivos em mão-de-obra, mostra a importância de se tornar um gerador de empregos para o desenvolvimento mundial.


Quando falamos e damos visibilidade ao mundo das restrições alimentares e ao veganismo, acreditamos que estamos agregando valor e consequentemente gerando renda e emprego, em um mercado que muito mais do que vender alimentos ou produtos, oferece qualidade de vida.


Nesse âmbito a FreeFood aparece, com a essência de promover o bem-estar, não à toa leva o slogan “Para Dias Melhores” e, acima de tudo, com a responsabilidade social de trazer para o ser humano a oportunidade de se alimentar com segurança.


Dessa forma, evitamos que pessoas com restrições alimentares tenham seu desenvolvimento cognitivo, habilidades e capacidades sistêmicas do corpo afetadas e prejudicadas pelos nutrientes presentes nos alimentos.


Não podemos deixar de destacar também o quanto valorizamos uma cadeia produtiva sustentável em quem todos os elos sejam igualmente respeitados e reconhecidos, fazendo com que o negócio seja lucrativo para todos nele envolvidos, sem qualquer tipo de exploração.


Assim, vocês puderam entender e conhecer um pouco sobre os ODS e como a FreeFood está envolvida para que essas metas sejam alcançadas.


Agora é a sua vez de pensar como você também pode fazer alguma coisa para que cheguemos em 2030 em um mundo melhor.


Conta pra gente aqui o que tornaria os seus dias melhores!